Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

tarde e a más horas

um atrasado por natureza

tarde e a más horas

um atrasado por natureza

A escrever: Epílogo

conseguiu.

 

o despertador assinalara as cinco e meia da manhã. o homem também é multifunções ao contrário do que se pensa. abrira o olho esquerdo, ainda estremunhado, e em simultâneo a sua mão direita procurava o smartphone, pousado na mesinha de cabeceira da sua infância, de forma a desligar aquele interruptor polifónico. sentia o calor da sua cama a fugir e a dispersar-se rapidamente devido ao movimento automático do seu corpo. o lençol obedecia ao seu despertar oscilante.

 

how can i do, de anwar, invadia agora a extensão do seu quarto. enquanto a melodia discorria, ouvindo-se a voz declarando perdidamente o seu amor como se apenas à custa desse sentimento sobrevivesse, levantara-se da cama. gostava daquela hora da noite. lembrou-se de uma notícia onde lera que o pico de inatividade humana era atingido às cinco e meia da manhã.

 

uma hora depois, encontrando-se já no centro da cidade ainda deserta, apreciava a imensidão daquela avenida pintada em tons de escuridão e luz fantasmagórica, mas não para ele. a escuridão reconfortava-o e o silêncio ao seu redor tornava-se no seu melhor parceiro de treino. era a noite mais comprida do ano, e embora não se registasse vivalma, toda a cidade mantinha um ténue registo de vida assinalado pelas luzes natalícias que marcavam o aproximar da festividade.

 

enquanto alongava, procurara a recordação de si, exatamente naquele lugar, àquela hora, um ano atrás. essa retrospeção momentânea aumentara agora a sua motivação para enfrentar os quatro graus negativos que um dispositor turístico marcava. lutara arduamente por tudo o que tinha alcançado, mas a sorte nunca o abandonara, e não podia deixar de se sentir agradecido pelo bafejo de fortuna que descera sobre si. se fosse ligado às leis da física, como newton ou einstein, sem dúvida que este seria o seu annus mirabilis.

 

Um ano maravilhoso. as palavras saíram vagarosamente da sua boca. sobre as mãos apertadas entre si e levadas à boca soprava uma última vez na tentativa de aumentar a temperatura e combater aquele frio invernoso. estava pronto para o início de mais um dia.

 

Mais do que pronto. sorriu, enquanto ouvia os primeiros acordes da música de sempre. a distância fora percorrida.

 

conseguiu.